Alelo Vegetal

arrozefeijaoBanco Ativo de Germoplasma (BAG)

Arroz e Feijão

Publicado em

Pespectivas

Perspectivas de crescimento
do BAG Arroz e Feijão

Com um acervo de 27.006 acessos de arroz e 17.345 acessos de feijão o Banco Ativo de Germoplasma de Arroz e Feijão é considerado o maior banco de germoplasma da Embrapa, com 44.351 acessos. As recentes reformas estruturais implementadas no BAG Arroz e Feijão permitiram modernizá-lo e adaptá-lo para uma conservação e uso mais eficiente de recursos genéticos nos próximos anos. Hoje, o BAG Arroz e Feijão está dotado de toda uma infraestrutura de câmara fria e seca com capacidade para armazenamento e conservação de cerca de 87.045 acessos, casas teladas para multiplicação de acessos de arroz e feijão com toda segurança, telados de campo para caracterização de acessos de arroz e áreas de campo espécíficas para condução de pesquisas com recursos genéticos de arroz e feijão. Para os próximos anos, os principais desafios do BAG Arroz incluem: a multiplicação/regeneração e caracterização dos 10.050 acessos originais, multiplicação dos 16.956 acessos da coleção americana de arroz recebida do USDA e a formação do banco de dados através da migração dos dados dos germoplasmas para o Programa ALELO, que é o software de gerenciamento dos BAG’s da Embrapa. O desenvolvimento de pesquisas com recursos genéticos de arroz é outra grande prioridade e dentre elas podemos destacar a formação de Coleções Nucleares Temáticas focadas nos principais problemas da cultura como, seca, frio, brusone, vigor de plântula, atividade nitrato-redutase, qualidade de grãos e produtividade o que permitira uma sistematização dos recursos genéticos armazenado no BAG Arroz facilitando o seu uso principalmente pelos melhoristas de arroz. As coleções temáticas oferecem uma alternativa para as restrições de tamanho impostas por grandes coleções nucleares, concentrando o esforço na obtenção de coleções compactas com alta diversidade genética caracterizadas morfologicamente e agronomicamente para uma característica ou tema de interesse, contituíndo-se em verdadeiros bancos de caracteres.

Os principais desafios para o BAG Feijão será a finalização do inventario e quantificação da viabilidade germinativa e vigor das sementes dos acessos armazenados. Em uma segunda etapa será necessária a multiplicação e caracterização dos 15.721 acessos de Phaseolus vulgaris e 1.624 acessos silvestres de Phaseolus, totalizando 17.345 acessos, bem comoa a formação do banco de dados através da migração dos dados dos germoplasmas para o Programa ALELO. O desenvolvimento de pesquisas com recursos genéticos de feijão inclui as seguintes prioridades:

  • a) formação de coleções temáticas focadas nos principais problemas da cultura como, seca, calor, escurecimento e endurecimento de grãos, eficiencia nutricional em baixo fósforo, fixação biológica de nitrogênio, arquitetura de planta, tolerância a doenças, qualidade de grãos e produtividade;
  • b) desenvolvimento de linhagens contrastantes para fatores bióticos e abióticos visando estudos genéticos.

A conservação de germoplasma possui atividades rotineiras que demandam um custo específico para a sua realização. Para que estas atividades sejam realizadas, o recurso anual deve estar disponível, sob o risco de comprometimento da qualidade das coleções. Estimativas feitas por Ferreira et al. 2007 mostram que o custo de manutenção a longo prazo de uma amostra com cerca de 2.000 sementes de um acesso de arroz em uma câmara fria gira em torno de R$ 6,00 por ano (isto inclui, por exemplo, custos com embalagem, eletricidade, depreciação de equipamentos, manutenção e consertos, energia de geradores, seguro, etc). Como as coleções de arroz e de feijão da Embrapa Arroz e Feijão possuem 26.006 e 17.345 acessos respectivamente, apenas o simples armazenamento das amostras de arroz em câmaras de conservação custa aproximadamente R$ 156.036,00 para arroz e R$ 104.070,00 para feijão, totalizando R$ 260.016,00 por ano. Portanto, além de recursos do seu orçamento, a Embrapa Arroz e Feijão terá que buscar apoio financeiro e outras fontes para poder manter este patrimônio genético. Potencial apoio pode ser solicitado junto:

  • a) Ao Tesouro Nacional, com apoio da Comissão de Agricultura do Congresso Nacional. O recurso seria específico para a conservação de recursos genéticos da agricultura brasileira. Este patrimônio é estratégico e é público, servindo a todo o setor agrícola brasileiro.
  • b) As instituições que financiam áreas estratégicas para o Brasil, como o BNDES. Conservar germoplasma para o futuro é estratégico para o país, é moeda importante nas relações entre os países. Se a sociedade brasileira identifica a conservação de germoplasma como estratégica para a nação, então os recursos para a manutenção do germoplasma devem ser suficientes e garantidos anualmente.
  • c) As Fundações das Empresas Estatais como a Petrobrás e o Banco do Brasil.